Garantia de Óculos: O que óticas podem fazer para não perder o prazo do fornecedor.

Por Guyllian Kanashima

Alguma vez um cliente seu voltou com um óculos quebrado querendo conserto ou até mesmo a troca do produto danificado depois do prazo de garantia

E como você reagiu? Foi direto ao ponto e disse que não poderia ajudar? Aceitou trocar o óculos para não perder o cliente, mesmo sabendo que a ótica poderia levar prejuízo?

O que fazer?

Cada vez mais, as pessoas exigem excelência do serviço prestado pelo comércio, e as ópticas não ficam de fora. 

Então é inevitável que sua ótica preze sempre pela satisfação do seu cliente, buscando ao máximo prestar um bom atendimento e trazer produtos de qualidade. 

Pois só assim é possível construir um relacionamento duradouro entre ambos, afinal de contas, são boas práticas como esta que transformam um simples consumidor em um cliente fiel.

Já que estamos falando dos clientes e seus direitos, é importante que você entenda que, por ser considerado um bem duradouro, o Código de Defesa do Consumidor determina que os óculos tenham três meses de garantia, (conforme a Lei 8.078), mais nove meses de bonificação, perfazendo um total de doze meses de garantia integral do produto, a contar a partir do momento da emissão da Nota Fiscal de venda, fornecida pela ótica. 

Grandes marcas como a Ray-Ban, Oakley e Chilli Beans disponibilizam a garantia das armações dos óculos e lentes das suas coleções.

Portanto, é imprescindível deixar os clientes cientes de que tem direito à garantia do produto que adquirem, seja uma armação de óculos de grau ou os indispensáveis óculos de sol.

O grande problema

Para as óticas é que a garantia do produto começa a contar a partir do momento em que o óculos é adquirido pela ótica, não pelo cliente. No entanto, se um óculos está no estoque há, digamos, nove meses, o produto tem apenas mais três meses de garantia pelo fornecedor, portanto, o cliente já não teria direito a um ano de garantia. 

Saiba a solução

Por isso, é bom lembrar que, na maioria dos casos, o fornecedor cobre apenas defeitos de fábrica dos seus óculos. Então é preciso deixar isso bem claro para os seus clientes, conferindo com ele no momento da compra se o óculos possui algum dano ou não, evitando possíveis dores de cabeça no futuro. 

Informe os clientes que a garantia não cobre danos por uso indevido na armação, que são considerados consequência do uso incorreto do produto pelo próprio cliente. Por exemplo:

  • Desbotamento e desgaste natural da cor
  • Danos causados por produtos químicos (cremes, tinturas, álcool, solventes, cola, etc.)
  • Danos causados por animais
  • Riscos acidentais na pintura das armações
  • Riscos acidentais em lentes solares e graduadas
  • Quebras ou danos por uso indevido

Algumas marcas são mais flexíveis quanto aos critérios da garantia, logo, sempre converse diretamente como os fornecedores para saber as exigências específicas de cada um. 

Apesar de tudo isso, a boa notícia é que é possível evitar essa dor de cabeça com alguns passos simples e fáceis de aplicar na sua ótica! 

Quer ver as dicas que só o Kero Ótica, o melhor sistema para óticas preparou para você?

É só acessar o formulário abaixo!